Um pouco de sanidade

Paulo Francis, em entrevista a Geneton Moraes Neto:

2-Você é frequentemente criticado porque teria se transformado de revolucionário em conservador.Você aceita essas críticas ?

Francis – Passei de criança a adulto. Eu era uma criança que confundia desejo com realidade. Eu tinha certos desejos – que eram fraternais com relação à minha situação privilegiada e à situação desprivilegiada de outras pessoas. Mas descobri, ao ver o mundo aí fora, que a maneira de resolver esses problemas não é a maneira pregada pelos principais grupos populares aqui do Brasil. A grande transformação foi esta. Vi que os países ricos são paises que se abrem para o capital e fazem iniciativa privada. Como é que você vai empregar os brasileiros sem iniciativa privada? Vai fazer de todo mundo funcionário público? As repartições públicas já estão falindo! E com esses milhões que estão aí o que é que você vai fazer? É preciso abrir desde botequim a fábrica. Isso só com capital privado!

A propósito: já há no You Tube vídeos de Francis no Manhattan Connection, alguns impagáveis. Alguém postou a íntegra da homenagem que o programa fez a Francis na ocasião de sua morte. É excelente, mas foi feito às pressas, e não tem todos os melhores momentos. Há cerca de um ano e meio, no entanto, foi feita uma nova homenagem, com uma seleção muito mais representativa. Na ocasião, o GNT chegou a sortear DVDs do programa, mas esses DVDs nunca foram comercializados. Roga-se aos então agraciados que façam a gentileza (esse, sim, um verdadeiro serviço público) de disponibilizar o programa no You Tube.

Mini-curso sobre Raimundo Lúlio no Mosteiro de São Bento

No Mosteiro de São Bento do Rio, vejam bem.

O curso tem como objetivo permitir ao aluno um primeiro contato com o filósofo medieval catalão Raimundo Lúlio a partir de seus textos, mormente de sua autobiografia, a Vita Coaetanea, mostrando a influência das circunstâncias históricas do autor na elaboração de sua obra e na estruturação de seu pensamento.

Tópicos a serem abordados:

1. Lúlio, filósofo extemporâneo e marginal

2. A vida de Lúlio contada por ele mesmo

3. Lúlio na contra-mão da escolástica: diálogo como método de filosofia

Período: 25 de setembro e 2 e 9 de outubro de 2006 (segundas-feiras).

Horário: nos dias de 2ª feira, no horário de 15h30min 17h.

Investimento: taxa única: R$ 50,00 (com direito a certificado).

INSCRIÇÕES E INFORMAÇÕES:

Faculdade de São Bento do Rio de Janeiro

Rua D. Gerardo, 68 – Centro – Rio de Janeiro – RJ

Telefone: (21) 2206-8100 – Ramal 8281/8310. Fax: 2206-8281

Home page: www.faculdadesaobento.org.br

E-mail: info@faculdadesaobento.org.br

Curso no Rio sobre São Tomás de Aquino

A política em Tomás de Aquino

  • Carlos Nougué (Tradutor da obra de Santo Tomás; Prof. de Pós-graduação em Tradução)

A prova da existência de Deus em Tomás de Aquino

  • Sidney Silveira (Editor da Sétimo Selo)

O tomismo na literatura: o “caso” G.K. Chesterton

  • Rosa Clara Elena (Prof. de Literatura)

O tema dos anjos em São Tomás de Aquino

  • Sergio Salles (Prof. de Filosofia – Universidade Católica de Petrópolis – UCP)

Inscrições abertas

Sábados (de 13h às 17h30) — de 12 de agosto a 07 de outubro de 2006 (total de 40 horas)

Local: Academia Brasileira de Filosofia. Rua da Riachuelo, 303, Centro, Rio de Janeiro.

Estacionamento ao lado — Rua da Riachuelo, 305.

Informações:

Editora Sétimo Selo

Telefone: (21) 2242-7634

E-mail: curso@edsetimoselo.com.br

www.edsetimoselo.com.br

Mary O’Grady, do Wall Street Journal, na PUC do Rio

O Instituto Millenium convida para seu próximo evento na PUC-Rio, no dia 8 de agosto às 11:00. O painel “A América Latina Vista de Fora” terá intervenções de Mary O’Grady (editora da coluna Americas do Wall Street Journal), de Eduardo Viola (professor de relações internacionais da UNB e membro do Instituto Millenium) e de Marcos Azambuja (embaixador).

As vagas são limitadas. RSVP: (21) 22204466

Hospedeiro novo, vida nova

Eu confesso que eu queria uma cara nova para o site também. Mas há muita oposição…

Vejam só: tive que sair do hospedeiro antigo e importei os posts via RSS. Está tudo aqui, mas a numeração deles ficou invertida – isto é, o primeiro post virou o último. Isto significa que todos os links para posts individuais da versão blog do Indivíduo estão quebrados. Em compensação, agora posso colocar permalinks num formato mais bonito, e isso há de impedir problemas futuros.

E, infelizmente, ainda muito ocupado para conseguir escrever algo decente… Mas, quem sabe, hoje mesmo não faço algo?

Lições de abismo

Roberto Mallet

Nas quatro primeiras sextas-feiras de março, no Teatro Fábrica, em SP, Roberto Mallet reapresenta o excelente monólogo Lições de Abismo, baseado no romance homônimo de Gustavo Corção.

Vi o espetáculo há alguns anos, em mais do que brevíssima temporada carioca, e não consigo lembrar de nada que tenha visto em palcos brasileiros que tenha me impressionado mais. Saí de lá pensando que Roberto Mallet era o melhor ator do país, o que ainda me parece verdadeiro.

A adaptação do texto é particularmente boa. Como adaptar o registro do romance para o do teatro, em que um personagem deve transmitir um mínimo de realismo, sem no entanto transmitir qualquer banalidade? Como guardar a literariedade e o espírito e fazer com que o texto soe verossímil na boca do ator? Estes desafios, raramente vencidos por dramaturgos brasileiros, foram vencidos por Mallet. Se, como disse Walker Percy, as pessoas vão ao teatro em busca de linguagem excelente, sairão plenamente satisfeitas de Lições de abismo.

Não descarto ir a SP só para rever a montagem.

RSS e comentários

A quem interessar possa: acabo de instalar o WordPress 2.01 e O Indivíduo finalmente pode ser corretamente acessado por leitores de RSS. Reclamações com pedro@oindividuo.com.

Coloquei, mas retirei os comentários. Toda hora tinha que moderar… Além disso, admito que a interatividade é uma das vantagens da WWW, mas também penso que se o leitor não deseja se dar ao trabalho de enviar um e-mail – que é muito pouco trabalho – não tem vontade o suficiente de manifestar sua opinião. Em blogs essencialmente humorísticos e de entretenimento (que eu visito todos os dias, aliás), creio que ficam melhor do que aqui, onde o humor é mais ocasional.

%d blogueiros gostam disto: