Projeto de site: Revolução Russa

Caros leitores: há alguns dias tive uma idéia para marcar os 90 anos da Revolução Russa: um site a seu respeito. Espero que o site venha a ser uma criação coletiva, ainda que eu confesse não abdicar de um certo centralismo democrático.

Este é o texto que escrevi para dar a partida no projeto – o único a ser publicado até agora.

Um truísmo do nosso tempo diz que a História é sempre escrita pelos vencedores. Se é assim, é preciso admitir que em alguma esfera a revolução russa foi vitoriosa: até hoje os morticínios em massa realizados por Lênin e Stálin são vistos como acidentes de percurso ou traições da perversidade humana, e não como ações deliberadas que faziam parte de um plano totalitário.

O comunismo exige ser discutido sempre em dois níveis, um das idéias e outro das práticas, como se um não tivesse nada a ver com o outro. Sim, é verdade que a revolução russa não aconteceu segundo o plano de Marx. Ela não foi o desenvolvimento natural de uma sociedade altamente industrializada, mas o plano de uma vanguarda armada dentro de um país que mal tinha saído do feudalismo. Mas o III Reich de Hitler também não durou 1000 anos; alguém consideraria, só por isso, que a idéia ainda é digna de crédito? A idéia de que o “verdadeiro nazismo” – aliás, nacional socialismo – ainda não foi praticado e portanto merece atenção e respeito deveria ser bem aceita? É claro que não. O mesmo deveria valer para o comunismo.

O objetivo deste site é reunir documentos – sobretudo traduções e transcrições de livros – que mostrem que o mal tremendo causado pela revolução russa não foi um acidente de percurso mas, assim como no nacional-socialismo alemão, parte essencial do plano.

Qualquer pessoa pode contribuir inserindo textos. Escreva para mim pedindo um login e uma senha e mostrando algum material, e/ou entre na lista de discussão dos participantes do site. Estão recusados de antemão textos que sejam meras condenações do comunismo e da revolução e não acrescentem informações. Não se trata de falar mal e depois falar mal de novo, nem de tentar convencer pela retórica, e sim de deixar os fatos falarem – não se preocupe, eles nunca foram tão eloqüentes.

Portanto, biografias dos revolucionários, dados sobre massacres, explicações de políticas, tudo isso é bem vindo, e tudo, absolutamente tudo, deve estar embasado por referência bibliográfica – daí que o ideal seja transcrever e traduzir.

Mesmo que você não pretenda contribuir, volte ao site para vê-lo crescer.

Autor: Pedro Sette-Câmara

www.pedrosette.com