From Lexington to Astoria

Após uma breve troca de idéias com meu caro colega Pedro Sette, decidi postar algo que sai um pouco do padrão que tem prevalecido nos últimos tempos aqui n’O Indivíduo: rants sem fim sobre todos os assuntos possíveis. Não que eu não seja fã de um bom rant, aliás pelo contrário, se me disserem que o preço da margarina subiu é capaz de eu começar um rant, mas por outro lado acho que se tudo forem rants provavelmente deve acabar ficando meio deprimente de ler. (Disclaimer: não tenho culpa se a realidade freqüentemente é deprimente mesmo.)

Enfim, retornando às origens de um jornal que em seu primeiro número (que de fato foi o segundo) publicou um poema original ilustrado com fotos do Pedro levitando, submeto aqui para deleite dos leitores um vídeo aleatório zen por motivos puramente artísticos. Que os leitores assistam e pensem “que diabos é isso?” ou outras coisas parecidas. Afinal, para que reclamamos tanto senão para termos a liberdade de expressarmos aquilo que nos torna únicos e originais?

Para não deixar o contexto completamente obscuro, as imagens são de Queens, na cidade de Nova York. E quem está atrás da câmera sou eu mesmo.