Privatizai os controladores de vôo

Eu sei que os leitores do Indivíduo já esperam que alguém aqui diga isso, mas… É fácil ver que a solução dos problemas dos controladores de vôo no Brasil é privatizar tudo. Primeiro, porque só onde há lucro há esperança. Segundo, porque seria bem mais fácil apontar responsabilidade civil ou criminal – afinal, os médicos já não são processados por seus erros? Sem entrar no mérito desta questão, penso que o que já vale para eles pode também valer para os controladores. Terceiro, se há alguma espécie de fraude ou deslealdade no processo de contratação de novos controladores isto é menos grave do que a fraude pública. Será que não ocorre a ninguém que a fraude privada é menos feia e menos grave do que a pública? Não, não ocorre porque as pessoas só pensam cosmicamente: o depravado da esquina é sempre um sintoma de depravação da sociedade inteira, e não apenas um depravado isolado. E antes que alguém diga que uma fraude privada poderia causar a morte de diversas pessoas como no caso Gol-Legacy, basta lembrar que o governo não vem prestando exatamente um bom serviço e até agora não existe um culpado. Vamos lá, qualquer um sabe que a justiça é mais célere contra pessoas privadas, particulares, físicas, do que contra qualquer espécie de burocrata, do mais ao menos elevado. Quarto, que retoma o primeiro ponto, você se sente mais seguro sendo controlado por um burocrata molinho cheio de garantias e estabilidades com as quais você nem pode sonhar ou por um sujeito que precisa dar o sangue para subir na vida? Vamos lá, vamos lá, largue esse sonho de sociedade perfeita em que todos os burocratas são santos só porque fizeram concurso (isto é, foram competitivos durante um breve período de suas vidas) e olhe para a realidade antes que, na melhor das hipóteses, você tenha que meditar sobre isso após um atraso já considerado normal de sete ou oito horas…

Autor: Pedro Sette-Câmara

www.pedrosette.com