Freud e o mensalão

Está explicado por que a imprensa subserviente ao PT se dedicou com tanto afinco a tentar limpar o nome de Freud Godoy. Foram incontáveis artigos, de Tereza Cruvinel, Elio Gaspari, Josias de Souza e quejandos, todos repetindo a linha oficial do partido, certamente confiantes nas recompensas futuras prometidas para os próximos quatro anos.

Pois escutem lá no podcast do Diogo Mainardi a nebulosa história do depósito de R$ 150 mil realizado por Freud Godoy, na época em que o o guarda-costas de Lula acompanhava Delúbio Soares em suas perambulações com malas de dinheiro.

Depois disso, resta uma constatação de suma obviedade: Se isto aqui fosse um país sério, e não uma república de bananas, Lula já teria caído em desgraça e não continuaria sequer a ocupar a Presidência. Como não é, e como a população foi anestesiada por décadas de doutrinação ideológica e por 4 anos de distribuição eleitoreira de benesses com dinheiro alheio, ele lidera as pesquisas para a reeleição.