Lições de abismo

Roberto Mallet

Nas quatro primeiras sextas-feiras de março, no Teatro Fábrica, em SP, Roberto Mallet reapresenta o excelente monólogo Lições de Abismo, baseado no romance homônimo de Gustavo Corção.

Vi o espetáculo há alguns anos, em mais do que brevíssima temporada carioca, e não consigo lembrar de nada que tenha visto em palcos brasileiros que tenha me impressionado mais. Saí de lá pensando que Roberto Mallet era o melhor ator do país, o que ainda me parece verdadeiro.

A adaptação do texto é particularmente boa. Como adaptar o registro do romance para o do teatro, em que um personagem deve transmitir um mínimo de realismo, sem no entanto transmitir qualquer banalidade? Como guardar a literariedade e o espírito e fazer com que o texto soe verossímil na boca do ator? Estes desafios, raramente vencidos por dramaturgos brasileiros, foram vencidos por Mallet. Se, como disse Walker Percy, as pessoas vão ao teatro em busca de linguagem excelente, sairão plenamente satisfeitas de Lições de abismo.

Não descarto ir a SP só para rever a montagem.

Autor: Pedro Sette-Câmara

www.pedrosette.com