Ulisses, de Otavio Mora

Ulisses em Ítaca, vivo ausente.
Talvez seja resíduo de viagem,
mas é tão pouco minha esta paisagem
que só posso estar longe desta gente:
Se foi minha, cortaram-na tão rente
que a memória mudou toda a folhagem –
Falávamos idêntica linguagem –
Falo agora linguagem diferente:
Vivo em Ítaca ausente: minha fronte
alargou-se, meus olhos são maiores,
e na memória trago outros países:
Contudo, já foi meu este horizonte,
já fui jovem aqui: olho arredores,
e vejo Ítaca ao longe, sem raízes.

in Ausência Viva.

2 comentários em “Ulisses, de Otavio Mora

Os comentários estão encerrados.