De volta às raízes…

Da descrição de uma comunidade do Orkut, Liberal-Progressismo:

Vertente do liberalismo que se contrapõe ao liberal-conservadorismo. Defende mudanças sociais dentro da sociedade, um Estado de direito, mínimo mas que seja capaz de fornecer educação, segurança, infra-estrutura de transporte e saúde aos seus cidadãos, separação entre religião e estado, liberdade de expressão e individual, entre outros aspectos. (negritos meus)

Não é uma delícia de oxímoro, um Estado que seja mínimo mas ao mesmo tempo dê escolas, hospitais, transporte etc? Vejam bem, não questiono a posição política em si, mas o uso da linguagem. Se mínimo é o Estado que dá todas estas coisas, imagino que adjetivo resta para o Estado dos very
libertarians
, que acham – e nisto eu concordo – que não é função do Estado dar escolas, hospitais etc.

PS: Algumas boas palavras sobre o Papa devem vir. Em tempo – agora devemos apenas rezar por sua alma. O corpo ainda está exposto.

Autor: Pedro Sette-Câmara

www.pedrosette.com