Chamando todos os católicos

O milagre dos pães e peixes, que é o Evangelho do Domingo Laetare

Hoje é o Domingo Laetare, o “domingo da alegria”, o domingo do meio da quaresma, em que os paramentos roxos são trocados por paramentos cor-de-rosa.

Tive a ventura de assistir à missa de hoje no Outeiro da Glória – uma missa tridentina. Para quem está chegando agora, explico: uma missa como era antigamente, antes da missa nova, esta que está aí em todas as igrejas. Uma missa que foi utilizada pela Igreja por séculos, em latim, aquela “com o padre de costas para o povo”.

Acho que a missa de hoje foi a mais bonita a que já assisti. Tivemos canto gregoriano; e quem gosta de gregoriano sabe que ele tanto pode ser celestial quanto tedioso. Claro que a variação está ligada à fé dos cantores, e ao momento do canto. O gregoriano na missa é a coisa certa no lugar certo; o gregoriano no CD ou em uma “apresentação” é uma curiosidade deslocada, igual a uma peça de arte antiga em um museu moderno. Não há mais contexto, e a obra se torna quase ininteligível; na missa, na missa de hoje, vimos que a tradição está viva.

O sermão também foi ótimo. Quem é católico e freqüenta a igreja sabe como é difícil ouvir um sermão simples e simplesmente católico, dizendo que pecado é pecado, que pecado é ruim, e que o negócio é parar com esse negócio de pecado. Só isso. Foi o que o celebrante fez, após explicar que na Europa este domingo coincide
com o início da primavera – de fato ontem às 3h48 AM o Sol entrou em Áries – e que as primeiras rosas que aparecem são ofertadas nas igrejas. Um gesto simples e comovente.

Na epístola, por acaso (segundo o calendário antigo, respeitado na missa tridentina), um comentário de São Paulo pareceu aniquilar a questão do Islam frente ao Cristianismo: “Mas que diz a Escritura? Lança fora a escrava e seu filho, porque de modo algum o filho da escrava herdará com o filho da livre.” (Gálatas IV, 30)

Agora, eu estou dizendo isto tudo pela seguinte razão: quero convidar as pessoas para assistirem a esta missa. Ela não acontece sempre, mas apenas uma vez por mês. É perfeitamente lícita: o Outeiro da Glória tem indulto para a celebração da missa tridentina. Portanto, não se acanhe. Se quiser saber quando a próxima missa irá acontecer (eu mesmo ainda não sei), mande-me um e-mail: pedro@oindividuo.com.

Autor: Pedro Sette-Câmara

www.pedrosette.com